Mês: setembro 2020

Plano de previsão e execução orçamentária “Projeto Água Potável São Irineu”

O plano de previsão e execução orçamentária do “Projeto Água Potável São Irineu” foi dividido em etapas, considerando aspectos cronológicos das ações e a logística das mesmas.

Inicialmente, priorizou-se a estruturação da torre da caixa d’água, uma vez que leva tempo para a sua execução e para aguardar que possa de fato sustentar o peso das caixas d’água, tomando-se o fator emergencial das necessidades e da campanha. No entanto, o imprevisto da falta de água disponível para construir a estrutura, já no início do período de estiagem, determinou o deslocamento da prioridade para a perfuração dos poços, devendo a água dos próprios poços ser utilizada para a construção ou instalação das torres.

Destaca-se a observação de que o recurso financeiro disponível no momento é insuficiente para a conclusão de todas as etapas, o que exigirá tomadas de decisões dos envolvidos, eventuais ajustes nos planos iniciais e/ou aportes adicionais de recursos.

Este aspecto foi identificado no início dos processos de levantamento dos orçamentos de perfuração dos poços e do valor necessário para a construção das torres das caixas d’água. Havia um levantamento orçamentário prévio que subestimou a profundidade necessária para uma perfuração de água segura, além de estimativas subvalorizadas em relação aos custos, em todas as demais etapas. Ao mesmo tempo, orientações técnicas direcionaram para outras mudanças na proposta original, como em relação à capacidade dos reservatórios.

Na atual conjuntura, a previsão orçamentária foi dividida em quatro etapas. Uma primeira etapa da perfuração dos poços, uma segunda etapa da construção das estruturas de suporte das caixas d’água, uma terceira etapa de aquisição dos reservatórios, e uma última etapa de distribuição da água ao destino dos domicílios e reservatórios locais. 

1ª. Etapa: Perfuração dos poços

Essa etapa foi marcada por divergências quanto à determinação de uma profundidade para água segura. O pretendido em explorações iniciais, em 36 metros de profundidade, mostrou-se inapropriado para obtenção de água na região, sendo os poços da localidade mais profundos e ainda assim carentes de água.

Uma primeira visita técnica orientou uma profundidade de 84 metros. Outros técnicos/ geólogos pontuaram profundidade entre 100-120 metros, e ainda houve orientação para perfuração em 200 metros. Há riscos relacionados à obtenção de água salobra ou com concentração de outros minerais e, neste sentido, inadequada ao consumo humano, caso se obtenha água em uma profundidade inadequada.

A profundidade que pode ser considerada mais “consensual” de conter uma água de qualidade é a profundidade aproximada de 100 metros.

Estes aspectos técnicos da região dificultam a determinação de um orçamento preciso, sendo orçadas diferentes profundidades, além de diferentes calibres dos poços.

Priorizou-se a especificação de poços de 12 ¼” x 6” de revestimento, considerando-se as necessidades de captação para um contexto comunitário associado a necessidades de irrigação. No entanto, os valores financeiramente mais elevados em comparação a poços de uso doméstico /familiar, de 8” de revestimento, orientou a busca de orçamentos também em torno desta especificação.

Nesta etapa, a maior parte dos orçamentos inclui a bomba submersa de captação da água, exceto o orçamento da empresa Belagua, em cuja negociação dos valores, excluiu-se a bomba do orçamento apresentado.

Seguem propostas de orçamentos coletadas:

Planilhas de orçamentos 1 poço (84 metros, 12 ¼” x 6”):

Empresa Especificações Outorga Orçamento total (R$)
São Luís Poços Artesianos 84 metros 12 ¼” x 6” sim 65.072,80
L.M. Construção de Poços e Com. 84m 12 ¼” x 6” sim 43.084,00

Planilha de orçamentos 1 poço (100 metros, 8 ¼” x 4”)

Empresa Especificações Outorga Orçamento total (R$)
Construtora Maranhense 100 metros 8 ¼” x 4” Sim 55.310,00*  

*Valor obtido somando-se R$ 5.000,00 ao orçamento proporcionado pela empresa, referente ao valor da outorga

Planilha de orçamentos 1 poço (100-150 metros, 12 ¼” x 6”):

Empresa Especificações Outorga Orçamento total (R$)
Belagua 100 metros 12 ¼” x 6” Sem bomba Não 21.125,00
JJ Perfurações 100 metros 12 ¼” x 6” Sim à parte 54.050,00 (8.000,00)
Hidropoços 100-120 metros 12 ¼” x 6” Sim 48.150,00 a 55.150,00
L.M. Construção de Poços e Com. 100 metros 12 ¼” x 6” Sim 53.435,00
Construtora Maranhense 100 metros 12 ¼ x 6” Sim 68.509,00*
PL Poços e Ambiental 100 – 150 m 12 ¼” x 6” Sim à parte 71.400,00 + 2.500,00 (fora)
Construtora Cristo é o Senhor 100 metros 12 ¼” x 6” Sim 71.141,26

   *Valor obtido somando-se R$ 5.000,00 ao orçamento proporcionado pela empresa, referente ao valor da outorga

Planilha de orçamentos 1 poço (200 metros)

Empresa Especificações Outorga Orçamento total (R$)
Construtora Maranhense 200 metros 8 ¼” x 4” Sim 88.680,00*  
Construtora Maranhense 200 metros 12 ¼” x 6” Sim 110.949,00*  

*Valores obtidos subtraindo-se valores de instalação de estrutura de caixa d’agua e distribuição para as casas do orçamento fornecido pela empresa e acrescidos R$ 5.000,00 pela outorga.

2ª. Etapa: Estruturas das caixas d’água

Esta etapa sofreu modificações da formulação inicial do projeto com a identificação da necessidade de maior tamanho dos reservatórios, considerando-se a demanda que haverá pelo número de habitações e projetos que envolvem irrigação. O plano inicial era de uso de um reservatório de 10.000 litros para cada um dos poços. A orientação, após visita técnica, foi do uso de dois reservatórios de 15.000 litros por poço. Essa mudança traz implicação direta sobre a etapa do levantamento das estruturas das caixas d’água.

Dentre as possibilidades, há as propostas em estruturas pré-moldadas, apontadas como mais baratas e de fácil instalação. Por outro lado, a duplicação das estruturas, no caso do uso de dois reservatórios por poço, coloca em dúvida a vantagem financeira comparativa com uma estrutura única em concreto, em construção, para as duas caixas d’água.

Seguem propostas de estruturas pré-moldadas para caixas d’água:

10.000 L:

Empresa Especificação Qtd Total R$ Valor p/ Estrutura R$
Britamar Premoldados Estrutura para caixa 10.000L 9m 4 50.000,00 12.500,00
L.M. Construções de Poços e Com. Estrutura para caixa 10.000L 9m 1 10.200,00* 10.200,00*
Construtora Maranhense Estrutura para caixa 10.000L9m 1 16.000,00 16.000,00
Settengenharia Estrutura para caixa 10.000L 8m 1 18.200,00 18.200,00

  *Valores obtidos subtraindo-se aquisição de reservatório, instalação e projeto de distribuição do orçamento total apresentado pela empresa

15.000 L:

Empresa Especificação Qtd Total R$ Valor p/ Estrutura R$
JJ Perfurações Estr. para caixa 15.000L 9,5m 2 20.000,00 10.000,00
L.M. Construções de Poços e Com. Estrutura para caixa 15.000L 2 * *
Construtora Maranhense Estrutura para caixa 15.000L 2 48.000,00 24.000,00
PL Poços e Ambiental Estrutura para caixa 15.000L 2 34.000,00 17.000,00

  *Valor pendente em proposta terceirizada pela empresa

30.000L:

Empresa Especificação Qtd Total R$ Valor p/ Estrutura R$
Britamar Premoldados Estrutura para caixa 30.000L 2 55.000,00 27.500,00

A outra opção em relação às estruturas das caixas d’água seria a sua construção em concreto. Esta opção é de maior complexidade, pois requer a divisão do orçamento em etapas, uma relacionada ao material e outra relacionada à mão de obra. Foi realizada prospecção de custos para um modelo de estrutura que sustenta duas caixas d’água de 15.000 L, com uma destas estruturas por poço (no caso da opção de 30.000 L por poço).

A estimativa de materiais para a construção de uma estrutura de 30.000 litros (2 reservatórios de 15.000L) foi realizada em lojas locais de São Vicente Férrer:

Materiais de Construção para estrutura de caixas d’água 30.000 L

Empresa Observações Valor total R$
Pinheiros Comercial   11.974,00
Centro das Construções Material incompleto 7.362,00*
E. M. Azevedo   17.565,00

*Material incompleto

A estimativa relacionada à mão de obra para a construção da estrutura da caixa d’água baseou-se em orientação de um pedreiro com recomendação de bons serviços prestados previamente, que estimou o material a ser utilizado e, a partir deste material, atribuiu o valor da mão de obra. 

Estimativa de custo de mão de obra para a construção da estrutura da caixa d´água 30.000L: R$ 8.000,00

Estimativa de custo de estrutura construída para reservatórios em 30.000L

Materiais  (estimativa R$) Mão de obra (R$) Valor total R$
15.000,00 8.000,00 23.000,00

3ª.Etapa: Reservatórios (Caixas d’água)

Esta etapa pode estar conjugada a etapas anteriores, no caso de propostas a serem realizadas por uma mesma empresa, ou à parte, em etapa subsequente às demais. Há empresas de perfuração com proposta que inclui a aquisição do reservatório no projeto, assim como a estrutura da caixa d’água.

As diferentes ideias ao longo do processo de adequação do projeto diante da disponibilidade das opiniões técnicas levou ao orçamento de diferentes capacidades de reservatórios e modelos disponíveis. Importante relatar que as lojas de São Vicente Férrer-MA não têm os reservatórios disponíveis nas capacidades pretendidas, realizando encomendas com prazo de entrega aproximado de 30 dias, e sujeito a imprevistos (relato de maior dificuldade da entrega devido à pandemia e condições das estradas).

Foram realizados orçamentos em lojas na cidade de São Luís de reservatórios com capacidades de 10.000L, 15.000L e 20.000L. Foi realizado levantamento de orçamento de um número reduzido de lojas da cidade, devido ao fato destas poucas lojas responsabilizarem-se diretamente pelo transporte dos reservatórios a seus locais de destino, a preço abaixo do valor de um frete (valor de entrega) e com total garantia sobre a integridade do produto.

Reservatórios – Caixas D’Água

Empresa Capacidade/ Marca/ Material Transporte R$ Valor R$
Potiguar 10.000 L / Fortlev / Polioetileno R$ 3,00 por Km (ida) 5.229,50
Jacaré 10.000 L / Fortlev / Polioetileno R$ 2,50 p/  Km ida-volta 5.254,25
Jacaré 10.000L / Bakof / tecfibra R$ 2,50 p/ Km ida-volta 3.420,61
Potiguar 15.000 L / Fortlev / Polioetileno R$ 3,00 p/ Km (ida) 8.649,90
Jacaré 15.000 L / Fortlev / Polioetileno R$ 2,50 p/ Km ida-volta 8.141,62
Jacaré 20.000 L / Bakof / Tecfibra R$ 2,50 p/ Km ida-volta 9.581,80

4ª. Etapa: Distribuição da Água

A etapa da distribuição, após aquisição e instalação da caixa d’água, deve ocorrer mediante projeto prévio ou concomitante à execução, sendo a sua previsão orçamentária bastante complexa, considerando a dificuldade na estimativa do distanciamento dos domicílios em relação à caixa d’água.

O levantamento junto à comunidade reúne uma previsão de benefício direto da distribuição da água para 30 domicílios a comunidade do Bom Jardim e para 24 domicílios da comunidade de São Jerônimo, segundo levantamento das comunidades.    

A estimativa é que possa ocorrer um distanciamento de distribuição de até 500 metros de “raio” da área da caixa d’água, nos dois povoados.

Esta etapa que conclui o acesso das casas à agua não tinha uma previsão orçamentária no projeto inicial. Neste sentido, sua implementação carece, necessariamente, de aporte adicional de recursos para a sua execução. Para fins de ilustração da previsão orçamentária, esta etapa da distribuição não constará na previsão orçamentária final neste momento, dada complexidade de seu levantamento e a priorização das outras etapas. O levantamento do valor do material a ser utilizado mais mão de obra para a distribuição da água será realizado concomitante à execução de etapas anteriores.

Etapas opcionais:

Dentro da discussão da implementação do projeto, há a possibilidade de se inserir etapas adicionais consideradas “menos essenciais” em relação ao objetivo inicial do projeto, mas que reúnem princípios desejáveis e trazem benefícios sociais.

Uma etapa adicional desejável seria a busca por fonte de energia limpa e disponível para o acionamento das bombas, como as fontes de energia solar. Isso exigiria ajustes na previsão orçamentária.

Outro exemplo de etapa adicional que pode atender a objetivos relacionados ao bem-estar comunitário é a instalação de banheiros nas bases das estruturas das caixas d’água, embaixo dos reservatórios. Esta etapa dependerá do modelo de estrutura de caixa d’água para sua viabilização. 

Previsão Orçamentária (parcial)

Para fins de ilustração para processos de tomadas de decisões, realizamos uma estimativa de custo total “por comunidade”, somando-se as três primeiras etapas em uma das localidades, sem custos operacionais, e uma estimativa de custo total “por etapas” dos dois poços juntos, sem custos operacionais (transporte, alimentação, custos). A estimativa de custos não compreende a etapa da distribuição da água aos domicílios (4ª etapa).

Estimativa de previsão de custos por “etapas”:

1ª Etapa: Perfuração dos poços

Outorga Perfuração 1 poço R$ Perfuração 2 poços R$
Não 22.000,00 42.500,00
Sim 55.000,00 110.000,00

2ª. Etapa: Estrutura das Caixa d’água

Especificação Torre 1 poço – R$ Estrutura total Torres 2 poços – R$
Pré-moldado 10.000 L 12.500,00 25.000,00
Pré-moldado 15.000 L 17.000,00 34.000,00
Pré-moldado 20.000 L 25.000,00 50.000,00
Pré-moldado 30.000 L 27.500,00 55.000,00
Construído 30.000 L 23.000,00 46.000,00

3ª. Etapa: Reservatórios/ Caixas D’água

Especificação Total 1 poço – R$ (reservatório + transp.) Total 2 poços – R$ (reservatório + transp.)
10.000L 5.800,00 11.600,00
15.000 L 9.000,00 18.000,00
20.000 L 11.100,00 22.200,00
30.000 L 17.500,00 35.000,00

Estimativa de custos “por comunidade”:

Especificificações 1ª Etapa R$ 2ª Etapa R$ 3ª Etapa R$ Total R$
s/ Outorga + pré-moldado 10.000L 22.000,00 15.000,00 5.800,00 42.800,00
s/ Outorga + pré-moldado 15.000L 22.000,00 17.000,00 9.000,00 48.000,00
s/Outorga + pré-moldados 20.000L 22.000,00 25.000,00 10.200,00 57.200,00
s/Outorga + pré-moldado 30.000L 22.000,00 27.500,00 18.000,00 67.500,00
s/outorga + constr. 30.000 L 22.000,00 23.000,00 18.000,00 63.000,00
Outorga Ok + pré-moldado 10.000L 55.000,00 15.000,00 5.500,00 75.500,00
Outorga OK + pré-moldado 15.000L 55.000,00 24.000,00 9.000,00 88.000,00
Outorga Ok +pré-moldados 20.000L 55.000,00 25.000,00 11.100,00 91.100,00
Outorga Ok + pré-moldado 30.000L 55.000,00 27.500,00 17.500,00 100.000,00
Outorga Ok + constr 30.000L 55.000,00 23.000,00 17.500,00 95.500,00

Estes valores finais por comunidade (sem distribuição da água) não correspondem a um orçamento definitivo, pois são orçamentos compostos em estimativa para cada uma das opções assumidas. Algumas combinações que determinam o valor obtido não são possíveis, devido ao fato de suas “partes” estarem inseridas em orçamentos maiores que combinam etapas. Por outro lado, estes valores constituem referência segura para o processo decisório.

Processos decisórios da execução orçamentária

A constatação da insuficiência de recursos para a execução do projeto com duas perfurações dentro de parâmetros técnicos e de regularização desejáveis impõe a necessidade de tomada de decisões. Há possíveis caminhos a serem seguidos na execução orçamentária, oportunamente dividida em etapas.

Um dos caminhos da execução orçamentária com os recursos disponíveis seria a execução das 3 primeiras etapas de um dos poços, no povoado do Bom Jardim, sem a etapa da distribuição da água para as casas (tubulações e conexões). Nessa proposta, a conclusão da última etapa, de distribuição da água, necessitará de aporte adicional de recursos.

Outro caminho possível é fazer a execução orçamentária das perfurações (primeira etapa) nos dois povoados (Bom Jardim e São Jerônimo). Esta proposta resguardaria a condição essencial do projeto de disponibilizar água potável às duas comunidades de modo emergencial, muito embora mantenha desafios de armazenamento e transporte de água até os domicílios até a conclusão das etapas seguintes. Ainda para a execução desta proposta, seria necessário um pequeno aporte adicional de recursos, dependendo da opção.

De toda forma, a constatação é a de que não alcançaremos todos os objetivos da campanha conforme descrição inicial com os recursos disponíveis atualmente. Serão necessários esforços para obtenção de recursos adicionais para atender satisfatoriamente os objetivos da campanha “Água Potável São Irineu”, tanto se a execução orçamentária for dividida por etapas para os dois poços, quanto no caso da conclusão de todas as etapas para uma das comunidades.

Conclusões:

Pelos motivos apontados e ilustrados, torna-se necessária uma retomada da busca por recursos adicionais para a conclusão da campanha “Água Potável São Irineu” em sua integridade, que é o beneficiamento direto das pessoas das comunidades do Bom Jardim e de São Jerônimo.

Esperamos que as informações disponibilizadas de maneira organizada possam embasar processos decisórios relacionados à execução orçamentária. Há um processo decisório imediato, relacionado à perfuração dos poços, e a possibilidade de incrementos no projeto original, orientados tecnicamente para as necessidades locais.

Com o aumento da calamidade da água nesse período de estiagem local, esperamos contar com a sensibilização de todos os envolvidos, de patrocinadores a executores, para uma renovada em nossa motivação para um bom resultado de nosso projeto.    

RESTART OF THE “CAMPAIGN FOR POTABLE WATER IN SÃO IRNEU”

After the end of the first emergency donation campaign to the drilling of two wells on the thorps where Mestre Irineu was born and lived his childhood, the reality imposed itself in a challenger way.

Inicially, it had been thought drilling in depth patterns similar to other cities near, around 36 meters. However the local reality of São Vicente Férrer-MA, and of the region named “baixada maranhense”, features geological and aquifer characteristics that guide a deeper drilling, around 100 meters, what enhanced a lot the inicial cost forecast of the drillings.

In the first budget requests from drilling companies, the technical guide also drived our reflexions around the water tank capacities and, as consequence, to the structures that support the water tanks. It’s considered that only one water tank in each well would not be enough to fit the current and future demand, considering the human and irrigation needs of the whole community.

When we came across the insufficiency of the resources for the huge change in the budgets proposals, it has become required the restart of the “Campaign for Potable Water in São Irineu”.

At the same time that the campaign has its restart, the calamity aggravates in the region that, beyond the drought period that provide more difficulties in access to water, has to deal with the lack of assistance from public authorities, that doesn’t keep adequate maintenance in the existing wells, what increases the difficulties to the population. People have to buy the water for personal consumption, with all the shortage of resources and, even the water that was available inadequate for consumption, that served other purposes, is not available anymore for more than 10 days in one of the communities.

We are hopefull of everyone’s awareness regarding these needs to the satisfatory reach of our noble purposes of providing conditions to improve the quality of life, welfare and health of the population that composes the “baby crib locality” of Mestre Irineu.

The emergencial question will lead to the beginning of the well drilling in one of the thorps with the available resources, at the same time that the fund raising restarts, to conclude the other stages.

Greetings to all “irmandade” around the world!

Work Execution Commission Viva o Mestre Irineu!                

REABERTURA DA CAMPANHA “ÁGUA POTÁVEL SÃO IRINEU”

Após fechamento da primeira campanha emergencial de doações para a perfuração de dois poços nos povoados onde o Mestre Irineu nasceu e viveu sua infância, a realidade se impôs de modo desafiador.

Em um primeiro momento, as perfurações foram pretendidas dentro de um perfil de profundidade semelhante a outros locais próximos, em torno dos 36 metros. No entanto a realidade local de São Vicente Férrer-MA, e da região conhecida como “Baixada Maranhense”, apresenta características geológicas e de aquíferos que orientam uma perfuração com maior profundidade, em torno de 100 metros, o que aumentou muito a previsão inicial do valor das perfurações.

Ao se iniciar os processos dos orçamentos, as orientações técnicas também direcionaram a reflexão para as capacidades dos reservatórios e, por consequência, para as estruturas das caixas d’água. Considerou-se que um reservatório só por poço poderia ser pouco para demandas atuais e futuras, ao se considerar o consumo humano e as necessidades de irrigação de toda uma comunidade.

Ao nos depararmos com a insuficiência de recursos para tamanha mudança no orçamento previsto, tornou-se necessária e desafiadora a retomada da campanha “Água Potável São Irineu”.

Ao mesmo tempo em que a campanha reinicia, a calamidade se agrava na região que, além de sofrer o período de estiagem que torna o acesso à água mais difícil, carece de assistência do poder público, que não realiza a devida estruturação e manutenção dos poços, o que tem trazido muitas dificuldades à população. As pessoas têm que comprar água para consumo, com toda carência de recursos que já há e, mesmo a água sem qualidade que servia a alguns propósitos, está ausente há mais de 10 dias em uma das comunidades.

Estamos esperançosos da sensibilização de todos em torno desta necessidade para o alcance satisfatório de objetivos nobres de propiciar uma qualidade de vida com saúde à população que compõe a localidade do “berço” do Mestre Irineu.

A questão emergencial orientará o início das ações de perfuração em uma das localidades, ao mesmo tempo em que se abre a campanha para a conclusão das outras etapas.

Saudações à toda irmandade,

Comissão de execução da obra

Viva o Mestre Irineu!

02 de setembro de 2020